sábado, 14 de abril de 2012

AS «APSARAS» DO REINO DE ANGKOR

O escritor Ferreira de Castro descreve assim no seu livro " A VOLTA AO MUNDO II" (publicado em 1944), a sua passagem pelo Camboja e a sua visita ao reino de ANGKOR, uma das Maravilhas Artisticas do Mundo. A Ele, que eu conheci pessoalmente e que me inspirou nesta mesma viagem, ao mesmo lugar, eu devo-lhe  esta homenagem:

"Estamos em TA-PROHM - um dos santuários - das enegrecidas paredes que ainda se mantêm  de pé surgem as «APSARAS» - deliciosas figuras femininas em baixo-relevo de seiozitos eretos e de pés, com escravas, volvidos para um só lado......"


                 Havíam passado cerca  de sete décadas e ali estava eu,só com o meu guia cambojano, poucos minutos depois das 5 horas da manhã, sentados numa pedra do Templo. Entre um silêncio sepulcral, os primeiros raios de sol perfuravam as nuvens expessas num céu pintado de negro, uma luz diáfana e purpura iluminava a floresta ainda adormecida e reflectia-se no lago.
 Jacques tentava chamar a minha atenção com palavras suaves, contando a tragédia do País e o sofrimento da familia que perdeu, durante as guerras sucessivas.

De repente uma outra voz, na minha lingua materna, segredou-me ao ouvido:
 "É chegado o momento de conhecer uma das maravilhas do Mundo"........

      
...."ao primeiro contacto visual este enorme «ANGKOR VAT» parece, sempre que o Sol não o envolva de refulgências, uma obra de rudes linhas e cheia de arestas, logo porém que se examinem trecho por trecho e se descontem as feridas deixadas pelos séculos, um marvilhoso feito de arte, uma maravilhosa façanha da arquitectura e da escultura estadeia-se deslumbradoramente perante nós....."



"Os arquitectos quemeres começaram por sofrer influências da INDIA, a mãe religiosa e acabaram por superar os próprios monumentos hindus que os havíam inspirado. E, com este santuário, sua esplendorosa gloria, eles influenciaram, por sua vez, a arquitectura dos reinos vizinhos, sobretudo a do Sião" 





.."a incomparável sumptuosidade de «Angkor Vat» começa logo na primeira galeria. E tão extensa 
esta se mostra que percorrê-la toda é fazer uma longa viagem . uma viagem em que  as pernas  se fatigam e o espírito se assombra.........." 



.
..."animais preciosamente estilizados andam perto das «APSARAS», estas ternas figuras femininas que se vêm em quase todos os templos de ANGKOR e ficarão na memória de quem  visite Angkor como como a mais delicada e perene graça dos seus monumentos. Mulheres divinas, nascidas da água, segundo velha lenda, as «APSARAS» de ANGKOR VAT ostentam sempre os seios eretos e o tronco nu, como as suas irmãs de outros santuários, mas artisticamente são muito mais perfeitas. Elas bailam, elas tocam, elas compõem a sua toilettle e exibem objectos profanos e sagrados..."

"....Celestes pela lenda, os anónimos artistas deste templo deram-lhes uma surpreendente humanidade e, mais do que os prazeres do  céu quemer, elas parecem cantar, com as suas vistosas ancas e seios nus, o mistério da maternidade."

     

Ferreira de Castro descreve com detalhe cirurgico as maravilhas deste Reino, com uma sensibilidade única, com uma intensa paixão pelo desconhecido e com um verdadeiro amor á arte ele se fascina e consigo leva o leitor a sonhar com as suas viagens, incuntindo-lhes um desmedido desejo de seguirem o seu trilho. E, assim, me encontrei no Camboja. Não me desiludi, tal como o escritor também me apaixonei por este Reino perdido, pela beleza e a perfeição das suas esculturas, pelo mistério que envolve estes templos, pela magia que  paira no ar, este é um lugar sagrado digno de ser visitado.

Assim ele descreve o final da visita a ANGKOR:

"As ruínas de ANGKOR são das poucas coisas do Mundo que justificam e ultrapassam a sua própria fama. Á noite tudo se transfigura; o grande templo, as gentis «APSARAS» nele esculpidas e a selva onde vivem os elefantes bravos, tigres e panteras".

"Raparigas cambojanas bailam em frente do ANGKOR VAT ...mil lumaréus, mil tochas queimam as trevas na enorme galeria de ANGKOR VAT. E as cambojanas bailam. Vimo-las primeiro esculpidas nas pilastras dos templos e a única diferença entre as bailarinas de pedra e as de carne é que estas em vez de torso nu trazem um corpete e calções, faixas bamboleantes, de rubras e doiradas escamas. na cabeça luzem um capacete pontiagudo, em forma de torre, metálico todo ele e com pedras incrustadas. Nos ombros vê-se-lhes um principio de asas e, sobre os pés nus, junto dos artelhos,várias argolas".  







".....Os movimentos dos corpos são lentos,duma lentidão de sonho;"

"e, de quando em quando, as pernas formam ângulos e os braços distendem-se hieraticamente...tudo é estranho. As atitudes das bailarinas, as mascaras que entre elas surgem, a selva que em derredor escuta e as moles de pedra do «Angkor Vat» que se erguem atrás e  flamejam na noite cambojana......."

"Queremos agarrar-nos a uma visão terrestre mas não é possível"



fotos: Helena Afonso

29 comentários:

  1. Esplêndidas imagens, Helena.
    Quando visita o Museu? Gostava de ouvir as suas recordações do Castro de viva voz!
    um abraço

    ResponderEliminar
  2. Deslumbramento...No passar...

    Doce beijo

    ResponderEliminar
  3. Olá, Helena!

    Num tempo em que nada mais parece capaz de surpreender-nos - já que hoje sem sair de casa tudo vemos - este parece ser um reino perdido,encantado, com sabor a descoberta - e esse é o lado mais apelativo para quem viaja.

    E foi bom viajar consigo nesta linda reportagem - que é pena ter tão poucos a lê-la...

    Bom resto de Domingo; abraço amigo.
    Vitor

    ResponderEliminar
  4. Nossa, amiga... que lindo. A experiência in loco deve ser fantástica. Beijos.

    ResponderEliminar
  5. A Helena faz fotos de...pasmar! Editá-las lembrando os escritos de viagem de Ferreira de Castro é colocar o seu trabalho no pedestal que merece. No meu caso, é sempre grato lembrar alguém que conheci e que com simplicidade tinha uma palavra amiga para com os jovens que frequentavam a "universidade" do café "A Brasileira" do Chiado e...já não falo da Sá da Costa, mais ao lado, onde "bebiamos" as palavras de tantos livros que não podiamos comprar...Excelente trabalho, Helena. Muitos e sinceros parabéns!

    ResponderEliminar
  6. Este sim é um post de conteúdo...muitas informações interessantes!

    []s

    Rafael
    Desce Mais Uma!

    ResponderEliminar
  7. É tudo tão fantástico,tão mágico que passeamos pela História de forma tão natural quanto tua narrativa.Cheia de graça,de conteúdo,de informação com imagens que nos remetem a outros mundos de maneira clara e harmorniosa.

    Parabéns, querida Helena.


    Um abraço,

    Linda Simões

    ResponderEliminar
  8. obrigada querida adorei as fotos, MARAVILHOSO.
    Morris

    ResponderEliminar
  9. *
    Bonito, Belo, Lindo,
    ,
    parabens, muitos !
    ,
    um mar de conchinhas,
    ficam,
    *

    ResponderEliminar
  10. Querida Helena
    As culturas orientais terão sempre uma grande parcela de magia, de misticismo...eu sei disso,como tu ou antes, tu ainda mais. Gostei de viajar contigo através do teu texto e das fotos que estão maravilhosas . Daí, volta-se sempre MAIOR, não?
    Beijocas e uma semana de sucesso.
    Graça

    ResponderEliminar
  11. Oh dear. I see what you mean. This was unintentional. They appear this way because I follow you, that is all.

    I think there is a way for you to change your settings to eliminate these links. I tried to find it at my Blogger settings, but I couldn't figure it out. I will stop following you so that you won't have this awful problem.

    So sorry. It was only from following you. I don't know why Blogger does this.

    ResponderEliminar
  12. Try this at the Blogger dashboard:

    Settings:
    Posts and Comments
    Show backlinks: click "Hide"

    ResponderEliminar
  13. .



    Helena, não tem como não
    comentar o seu trabalho;
    - É lindo, de puro bom
    gosto.
    Mas eu vim para convidá-
    la a criticar um texto
    meu que tenta exaltar a
    mãe no dia dela.

    Estou até seguindo o seu
    blog para merecer tama-
    nha gentileza.

    Beijos,

    Palhaço Poeta








    .

    ResponderEliminar
  14. Vivi mil passados em mil vidas
    Cada um preso numa singela caixa de madeira
    Que vogam à deriva entre a terra e o infinito
    À espera da minha viagem derradeira

    E nesta viagem tenho feito tanta loucura
    Às vezes consigo despertar a magia
    Já disse tanta palavra de imenso sentir
    Já embarquei em tanto cais em que apenas eu partia

    Já toquei as músicas todas que sonhei
    Feri um coração tanta vez sem querer
    Adormeci esperançado do desencontro com o acordar
    Apenas porque muitas vezes, dói tanto o amar
    Doce beijo

    ResponderEliminar
  15. Helena, boa noite!

    Adorei este post, viajei em casa, em frente ao pc, comodamente instalada.

    Beijinho,
    Ana Martins

    ResponderEliminar
  16. Obrigado por ter me levado tão longe...
    Abraços!

    ResponderEliminar
  17. Excelente esta visita inesquecível ao Cambodja... lindo e impagável... gostei!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. OBRIGADA ROUXINOL, realmente a visita ao CAMBOJA É INESQUECÍVEL, IMPERDÍVEL e mágica! Não há palavras, só mesmo as imagens dão uma ideia de todo aquele explendor!Mas a máquina fotográfica não traduz a profunda espiritualidade que ali se respira.......

      Eliminar
  18. deixo poesia e o convite: passa no meu blog de dedais...

    Consenso

    Consenso é palavra bonita
    Que muita gente pergunta
    O que dizer?
    Pois consenso é muitas vezes
    Apenas uma palavra de dicionário


    Consenso - certeza
    Consenso - equilíbrio
    Consenso - anuência
    Consenso - Tanta coisa...


    Mas no dia a dia
    Não sinto nenhum consenso,
    ao nosso redor...
    E é pena...
    Pois consenso...
    É apenas o pouco ou nada.
    Ter ideias e partilhá-las
    E respeitar as do outro lado
    E nas duas partes
    Surge o consenso!
    Que afinal...
    É tão fácil de conseguir!...
    É só preciso... querer!...


    LILI LARANJO

    ResponderEliminar
  19. ELENA
    sobre a pergunta eu envio por correio..
    beijinhos

    ResponderEliminar
  20. .


    Pronto, voltei...
    Aqui eu lavo os meus
    olhos e faxino a minha
    alma.

    Beijos,

    Palhaço Poeta





    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. OBRIGADA SILVIO,pela visita, comentario e...carinho,
      HELENA

      Eliminar
  21. i love your blog!I follow !
    It would be awesome if you could check out my blog too:

    My Blog - Pocketful of Dreams

    ResponderEliminar
  22. Helena


    obrigada pela visita
    entre o Caminhei Caminhando e o Cantar África escolha...

    beijinhos

    ResponderEliminar
  23. Já esqueci, todas as palavras que queria ouvir
    Todo os sentires por sentir
    Já não sou protagonista de uma comédia de enganos
    Sou apenas demiurgo de uma perversa cena de uma chegada sem partir

    Sou uvas amargas do mês de Abril
    Vinho de travo verde ao beber
    Semente atirada ao meio das pedras
    Olhos na bruma na inquietação do ver

    Uma imensa e incontida força neste peito
    Na alma uma cicatriz, qual estigma
    Serei apenas um barco de papel à deriva!?
    Ou como já alguém disse, um…Enigma…

    Doce beijo

    ResponderEliminar
  24. muyy buenas las capturas nocturnas felicidades !! eres una gran fotografa :( un saludo y te sigo si no te importa

    ResponderEliminar
  25. Incredible sculptural wall reliefs!!

    ResponderEliminar