sábado, 17 de abril de 2010

QUARTO MINGUANTE - Parte 3

OLÁ  QUERIDA  LUA

Aguardei o anoitecer e esperei naquela praia até a lua chegar.
Precisava encher o meu olhar com a luz
mágica que o iluminou. E chegou, à hora marcada
naquela noite escura, vinha bela, redonda
e toda nua.
Com aquela luz magnética  cor da prata tudo iluminou,
 seus reflexos cobriram as águas escuras do mar e vindo dali  vi então aquele vulto
enorme,  que para mim caminhava devagar.........



 LUA
 "Olá querida lua                                
  O céu é todo teu,
  A terra toda tua
  Depois que o sol morreu.
          
  Reparem, meus senhores,
 Até o próprio mar,
 Já tendo duas cores,
 Pintou-se de luar.

Ah, mostra-me as estrelas
Que a luz do sol esconde.
Vamos, eu quero vê-las,
A noite é que sabe onde.

Lua, onde o sonho habita,
Só tenho um ideal:
Fazer-te uma visita
Em nau espacial.

Para quem nau não tem
Só partindo já morto.
Passando para o além,
Tocarei no teu porto.

Minha pálida jia,
Esse conhecimento
Para a acolhida fria,
Não será no momento.........."

                  
         José Américo De Almeida


Ali fiquei até a noite acabar, vi mais gente a chegar e já o dia começava a raiar quando, já cansada, parti só, mas feliz por ter vivido o mistério da noite, ao lado daquele que foi Homem e Poeta de corpo inteiro.



http://www.museuvirtualjoseamerico.gov.pb.com/
          

9 comentários:

  1. Olá Helena!

    A Lua, não sendo astro,é certamnete mais adorada que o sol; fonte de inspiração de poetas, amiga de namoros e namorados, e que, segundo dizem alguns entendidos ... também inspiradora de momentos de grande paixão.
    O poema está lindamente escrito - e´quase que uma declaração de amor!

    Um abraço; bom fim de semana.
    Vitor

    ResponderEliminar
  2. Que encontro maravilhoso com a Lua, que torna mágicas as noites e é fonte de grande inspiração...o resultado foi excelente!
    Bj,
    Manuela

    ResponderEliminar
  3. Moon is somehow magic, isn't it? And to only imagine all the people who lived before us saw it as well. For example Napoleon saw it just in the same way as we do now. This is so strange and so natural... Truly beautiful photos, Helena.

    ResponderEliminar
  4. *
    todo o feitiço da Lua,
    expresso neste teu Post,
    ,
    conchinhas, deixo,
    ,
    *

    ResponderEliminar
  5. Passei para desejar...
    Ótimo final de semana, muita paz e alegria.
    Renata
    http://renatagomesdefarias.blogspot.com

    ResponderEliminar
  6. Minha Querida
    Sabemos bem como o luar exerce um fascinio sobre nós..." Não há ó gente, OH não, luar como esse do sertão"...É muito natural que te tivesses encontrado com a lua... a poesia é de prata e as imagens...trazem-me saudade que me mata!!
    Beijocas
    Graça

    ResponderEliminar
  7. que belissimo helena !
    por onde anda a minha querida amiga?
    saudades,vim buscar vc!!!bjs!

    ResponderEliminar
  8. Terra de José Américo de Almeida
    Escritor e filho ilustre
    De uma biografia onde se busque
    Um aprendizado que proceda
    De conteúdos ricos sem veredas
    Areense de uma cabeça pensante
    Autor do poema quarto minguante
    Escreveu o romance a bagaceira
    Foi autêntico poeta e político de carreira
    E da academia Brasileira de letras, integrante.

    Amiraldo Patriota.

    ResponderEliminar