terça-feira, 19 de janeiro de 2010

"A INDIFERENÇA É O SONO DA ALMA" -Charles Favart -















Foi num domingo à tarde, dia de mercado
quando vi este homem sentado,
turbante vermelho, barbicha branca
olhar vago.
Indiferente, de boca  fechada
Rodeado de multidão,
mas a face triste na sua solidão!

Viu-me e deviou o olhar,
recusando a minha invasão.
Eu afastei-me, mas logo voltei,
não resisti á tentação
e supliquei com um olhar
respondeu-me em silêncio
 e deixou-se fotografar...........

Recordo esse dia, revejo a fotografia e pergunto
Arrependimento, nostalgia, indiferença??
Que estaria aquele homem a sentir.....
Só adormecido no sono da alma,
ou já à beira da morte de toda a crença??......

"A INDIFERENÇA, SILENCIOSA, GRAVE, QUASE BENÉVOLA, É A MANIFESTAÇÃO
LEGÍTIMA DA MORTE DE TODA A CRENÇA"
-  Alexandre Herculano -

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

ILHA DO BORNEO

O  MERCADO  FILIPINO




Havia pilhas de peixes na bancas,
De todas as cores, feitios e tamanhos,
Pequenos, médios, grandes e graudos
Um peixeiro fatiava o atum,
O cutelo erguia-se no ar, a lamina brilhava e cortava,
Outro peixeiro, um filipino, fazia a cirurgia,
As tripas saltavam,  esguichavam e o sangue escorria
O ventre abria e o peixe gemia,
O Sol brilhava e a sua luz intensa tudo iluminava....!







                                                                           
Havia frutos coloridos e exóticos,
Os vendedores lançavam os pregões,
Os "riggits" passavam de mão em mão
O mercado fervilhava,
Os turistas fotografavam, mas não compravam,        
Os malaios vinham com os filhos às compras,
Uma chinesa comia uma espetada,
Um jacto roncava nos céus e sobrevoava,
A terra tremia
E no pano de fundo já o sol descia....!


Era hora de jantar  o cheiro já perfumava o ar,
Os grelhados fumegavam,
Os fumos subiam e as lâmpadas acendiam,
Os camarões eram tigres, as lulas  gigantes,
Os peixes gordos e suculentos,
A fome crescia e os olhos comiam,
Chegava  gente de todo o lado ,
Eram malaios, chineses e ingleses,
A noite caía,
O Sol mergulhava e a luz do dia desaparecia....!







O mercado Filipino ou "night market" é
conhecido como o melhor da Ilha do Bornéo e arredores, talvez mesmo o melhor mercado ao ar livre, do sudeste Asiático. De fronte ao Mar do sul da China, na cidade de Kota Kinabalu, capital do Sabah, o mercado é um mundo de contrastes. ao final do dia gera-se um turbilhão de gente, de raças diferentes, linguas orientais e culturas exóticas. Os super-jactos interronpem o alarido com o roncar dos reactores, levam como destino Hong-Kong, Manilha, Tokyo, Kuala Lumpur......, vêm os turistas "acidentais", vêm jantar ao barbecue filipino, "o verdadeiro paraiso da seafood", comem um jantar de principes e pagam o preço da "chuva". Esta é uma paragem obrigatória depois dum safari na selva ou um mergulho no fundo do mar!
Ao lado fica o Central Market, onde  se vendem  jóias,  pedras semi-preciosas, conchas e cristais. É aqui que se procuram os souvenirs mais elegantes, regateiam-se ao milímetro e compram-se a metro as pérolas de cultura, de água doce e barrocas, de todos os tamanhos, cores  e feitios,  este é o verdadeiro mercado das "pechinchas"............


http://www.youtube.com/watch?v=j_xvcOUZs2E